O presidente nacional do Solidariedade (SD), Paulinho da Força, tirou nesta terça-feira, dia 29, o comando estadual do vice-governador Bosco Saraiva.

A partir de agora, a sigla está sob direção do sindicalista Carlos Lacerda, figura de confiança de Paulinho no Amazonas, e pré-candidato a deputado federal.

Com essa decisão, o vice-governador perde o poder de mando sobre a legenda e ficará à mercê das decisões do novo dirigente, tanto sobre o cargo que pretende disputar quanto a aliança partidária para as eleições deste ano.

Bosco Saraiva costura candidatura a senador pelo arco de aliança do governador Amazonino Mendes (PDT), mas já deixou escapar o desejo de continuar vice de Amazonino.

Sem partido, porém, um projeto majoritário para ele, seja de candidatura a senador ou a vice-governador, passa a ser uma realidade mais difícil para Bosco.

Desde o começo da tarde de hoje, o BNC AMAZONAS tenta ouvir o vice-governador sobre a mudança ocorrida no partido.

Mas Carlos Lacerda pôs fim ao mistério agora à noite, ao publicar uma foto informando da mudança, acrescentando que Bosco passará a ser vice-presidente regional do SD e explicando que o “rodízio” estava previamente acordado entre as partes.

“Por meio de sua assessoria de imprensa o partido Solidariedade, informa que o Sr. Carlos Cavalcante de Lacerda, assume novamente a Presidência do partido no estado do Amazonas, passando a Vice Presidência ao Sr. Bosco Saraiva. Informamos ainda que este rodizio já estava previamente acordado entre as partes e a direção nacional do Solidariedade. Seguimos firmes e totalmente alinhados no projeto politico para as eleições de 2018, que visa uma vaga no Senado para o Bosco e uma na Câmara Federal para Carlos Lacerda. Vamos à luta!”, disse Lacerda no Facebook.

 

Repetição

O constrangimento que está impondo agora a Bosco Saraiva, Paulinho da Força aplicou no ano passado ao ex-vice-governador Henrique Oliveira (Pros).

O SD tomou o partido de Henrique assim que ele perdeu o cargo, com a cassação do governador José Melo, e quando começou a cogitar a hipótese de disputar a eleição suplementar de 2017.

 

Foto: BNC AMAZONAS