O voto impresso que seria usado em algumas regiões nas eleições deste ano está descartado. A decisão é da maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em sessão plenária na tarde desta quarta-feira (6).

O plenário decidiu por oito votos a dois, derrubar o uso do papel nas eleições de 2018, para eventual conferência dos resultados da disputa. As informações são do G1.

A maioria concordou com ação da Procuradoria Geral da República (PGR), que apontou que a medida coloca em risco o sigilo do voto.

Na prática, os ministros decidiram suspender o artigo da minirreforma eleitoral de 2015 (artigo 2ª da lei 13.165/2015), que estabeleceu: “No processo de votação eletrônica, a urna imprimirá o registro de cada voto, que será depositado, de forma automática e sem contato manual do eleitor, em local previamente lacrado”.

Com a conclusão do julgamento, valerá a medida cautelar que derruba o sufrágio impresso para a eleição de outubro.

O Supremo, contudo, ainda terá de julgar a questão de maneira definitiva, em data ainda não prevista, para deliberar sobre o voto impresso nos próximos pleitos.

 

Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF