A campanha de vacinação contra a gripe terá continuidade até 22 de junho. A decisão de prorrogar é do Ministério da Saúde por causa do baixo índice de comparecimento: 77% do público-alvo foi vacinado.

O número é considerado baixo pela pasta, que estabeleceu como meta a cobertura de 90% dessa população, o que equivale a 54 milhões de pessoas.

Desde o início da campanha, no dia 23 de abril, 42,6 milhões de pessoas foram vacinadas.

A região Sudeste é a que possui menor cobertura até agora: 71% do público prioritário foi protegido.

Na sequência, estão Norte (72%), Sul (81,3%), Nordeste (84%) e Centro-Oeste (91,4%).

Em estados como Roraima, Rio de Janeiro, Rondônia e Rio Grande do Sul, a baixa cobertura vacinal é ainda mais preocupante.

Neles, os porcentuais chegam a 53,59%, 57,29%, 70,91% e 77,82%, respectivamente.

Apenas Goiás, Amapá e Ceará ultrapassaram a meta de 90%.

 

Público da campanha

O público prioritário da campanha é composto por idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a 5 anos, trabalhadores em saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes e mulheres que tenham tido filhos há 45 dias, bem como pessoas privadas de liberdade.

Crianças e gestantes são os grupos que registraram menor cobertura vacinal neste ano, assim como ocorreu no ano passado.

Na região Sudeste, por exemplo, menos da metade (48,95%) das crianças que devem ser vacinadas foram imunizadas. Já o porcentual de gestantes atingiu 54%.

 

Foto: Reprodução/Diário do Interior  SP