Ao menos 116 venezuelanos dormem, nesta quinta-feira (5), em São Paulo. Eles fazem parte do programa de interiorização de imigrantes patrocinados pelo governo federal.

Esses refugiados do país vizinho da Região Norte estavam abrigados em cidades do estado de Roraima. A maior concentração estava na capital.

A viagem para São Paulo começou cedo no aeroporto de Boa Vista, de onde um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) decolou às 8h34 (9h34 de Brasília) desta quinta.

A aeronave chegou por volta das 13h (14h de Brasília) na Base Aérea de Guarulhos, Região Metropolitana da capital paulista.

Depois, três ônibus levaram 83 imigrantes para um abrigo administrado pela Prefeitura de São Paulo, enquanto 29 irão para um abrigo administrado pela sociedade civil e outros quatro a um local de acolhimento do estado de São Paulo, segundo a Casa Civil da presidência.

O processo de interiorização dos imigrantes é feito pelo governo federal numa tentativa de lidar com o intenso fluxo de venezuelanos que cruzam a fronteira do país por Roraima. Estima-se que 400 entram por dia no Brasil fugindo do regime de Nicolás Maduro. Na capital já são 40 mil, conforme a prefeitura.

 

Venezuelanos

Faz parte também desse processo proporcionar melhores condições aos imigrantes venezuelanos que querem viver e trabalhar no Brasil.

Com esse objetivo, o Governo Federal, com apoio técnico de agências das Nações Unidas (ACNUR e OIM), buscou vagas em abrigos de prefeituras, governos estaduais e na sociedade civil para receber os imigrantes.

Os imigrantes que aderiram, de forma voluntária, ao chamado processo de interiorização aceitaram deixar Roraima para buscar oportunidades em outras localidades.

Antes do deslocamento, todos foram devidamente imunizados em relação a doenças como sarampo, caxumba, rubéola, febre amarela, difteria, tétano e coqueluche.

Os venezuelanos passaram por regularização migratória junto à Polícia Federal, seja por meio de solicitação de refúgio ou de residência temporária.

Outro requisito é atender ao perfil das vagas nos abrigos na localidade de destino.

 

Mato Grosso

O segundo voo deixará Boa Vista nesta sexta-feira (6) também às 8h e chegará à base aérea de Cuiabá às 11h.

Ônibus transportarão 69 pessoas a um abrigo administrado por uma organização da sociedade civil.

O mesmo voo sai de Cuiabá às 12h30 e chega à base área de Guarulhos às 15h30. Desse grupo, 77 vão para abrigos da prefeitura de São Paulo e cinco vão para local de acolhimento administrado pelo estado de São Paulo.

Os estados de São Paulo e Mato Grosso e municípios de São Paulo e Cuiabá estão trabalhando em parceria com o Governo federal e agências das Nações Unidas e apoiando essa grande ação humanitária.

A interiorização não terá custo para os venezuelanos.

As viagens serão custeadas com os R$ 190 milhões liberados ao Ministério da Defesa por meio da Medida Provisória 823/2018, que trata da assistência emergencial e acolhimento humanitário das pessoas que deixaram a Venezuela.

 

Foto: CB  André Feitosa/Cecom/Saer/FAB