Um carregamento de 1,7 tonelada de mercúrio oriundo da Turquia e destinado a garimpos ilegais de ouro na Amazônia foi apreendido no porto de Itajaí, em Santa Catarina, por uma ação do Ibama e Receita Federal em 29 de março. Antes, em fevereiro, já haviam sido apreendidos 430 quilos do produto.

A carga era para uma empresa de Joinville (SC), que tinha autorização para importar, flagrada pelo Ibama simulando a venda e o transporte de mercúrio para uma empresa de fachada em Várzea Grande (MT). No endereço funciona uma mercearia.

Ibama e Receita já determinaram, sem prejuízo de outras penalidades, que a empresa devolva à Turquia a carga retida na zona alfandegária.

O Ibama considera essa a maior apreensão de mercúrio no país. Usado para separar o ouro de outros minerais no garimpo, o produto se espalha pelos rios e contamina a cadeia alimentar, causando graves impactos ambientais e danos à saúde.

O Brasil é um dos signatários da Convenção de Minamata, da Organização das Nações Unidas (ONU), que restringe o uso do mercúrio. O país ratificou a adesão em 8 de agosto de 2017.

 

Foto: Divulgação/Ibama