O ex-prefeito de Tapauá Almino Albuquerque (PSD) foi sentenciado pelo Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) a devolver aos cofres públicos o valor de R$ 1 milhão. Sua prestação de contas do ano de 2014 foi reprovada unanimemente pelo pleno da corte em sessão ordinária nesta segunda, dia 11.

Entre as maiores irregularidades, o ex-prefeito não comprovou gastos de R$ 462,6 mil com passagens e despesas com locomoção, de R$ 535,3 mil com hospedagem, além de gastos com materiais, serviços e bens para distribuição gratuita sem qualquer comprovação, no valor de R$ 535,3 mil.

Albuquerque também não provou pagamento de despesas da Prefeitura de Tapauá junto às empresas Neris S.A Morais (R$ 60 mil) e Elizabeth Ramos Marques Eireli-ME (R$ 58,2 mil). Nenhuma com projeto básico e nem processo licitatório.

O prazo para recolhimento aos cofres públicos é de 30 dias.

 

Leia mais

Prefeito de Tapauá, vereadores e secretários desviaram R$ 60 milhões

 

Vereadores de Beruri também reprovados

A prestação de contas da Câmara Municipal de Beruri, de 2015, também não passaram pelo crivo dos conselheiros do TCE. O então presidente da casa, Raimundo Marcelo Praia Silva, levou multa de R$ 226,3 mil para devolver aos cofres do município.

Só em diárias aos vereadores para deslocamentos não comprovados Praia Silva gastou R$ 200,4 mil. O tribunal viu ainda altas despesas com alimentos sem comprovação.

 

​Foto: Divulgação/TCE-AM