O que se dava reservadamente, aos poucos, agora, está se tornando expressivo e público: a aliança e proximidade entre o governador Amazonino Mendes (PDT) e o senador Eduardo Braga (MDB).

A mostra mais robusta disso foi dada hoje, dia 7, em Lábrea, na inauguração de uma obra federal, o ginásio coberto do Instituto Federal do Amazonas (Ifam).

Braga registrou a inauguração como fato político em seu perfil em rede social.

“Sempre procurei beneficiar com emendas, (sic) nossas instituições de ensino superior. Hoje tive a honra de, aqui em Lábrea, participar da inauguração do ginásio coberto do IFAM. Nossos universitários merecem!”, escreveu o senador.

Enviada ao município por Amazonino para uma ação do Governo do Estado, a presidente do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), Mônica Mendes, marcou presença ao lado de Braga no evento.

Mônica, que é sobrinha do governador e esposa do secretário de Infraestrutura (Seinfra), Oswaldo Said, divulgou pauta informando que ia a Lábrea, reduto emedebista liderado pelo prefeito Gean Barros (MDB), entregar rabetas, canoas e outros equipamentos a agricultores.

Ela não é estranha no ambiente. Em 2014, trabalhou ativamente na fracassada campanha de Braga ao governo.

Outro sinal do alinhamento entre o senador e o governador, que no ano passado se confrontaram na disputa pelo Governo do Estado, foram as presenças de políticos que fizeram campanha contra Amazonino e apoiaram Braga.

Entre esses estavam a líder do MDB na Assembleia Legislativa (ALE-AM), Alessandra Campelo, o deputado federal Átila Lins (PSD) e seu irmão, Belarmino Lins (Pros), além do próprio prefeito da cidade, Gean Barros.

Mais visível ainda nesse namoro entre Braga e Amazonino foi o fato de que políticos que não fazem parte do governo ou que não se afinam com o governador não foram convidados para o evento, apesar de estarem na cidade para as comemorações dos 132 anos de Lábrea.

Esse, por exemplo, é o caso do deputado Josué Neto, aliado de Omar Aziz (PSD), e de Sidney Leite (Pros), que deixou o governo Amazonino no início do ano.

Na semana passada, o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) disse que a possível ida de Amazonino para o MDB de Braga é assunto corrente em Brasília.

A mídia nacional já noticia a aliança entre os dois ex-governadores, que estão se aproximando com finalidades comuns, mas focos distintos: Braga quer voltar para perto da máquina, que nunca conseguiu vencer estando fora e longe dela, para garantir sua reeleição ao Senado, e Amazonino, para assegurar a competividade de sua candidatura à reeleição.

 

Foto: Reprodução/Instagram