Por Rosiene Carvalho, da Redação

 

O governador Amazonino Mendes (PDT) negou, mas não descartou a aproximação entre ele e o senador Eduardo Braga (PMDB) ao BNC, na sexta-feira, logo após a coletiva com a mídia sobre a previsão de R$ 400 milhões em recursos a serem repassados aos municípios do interior do Amazonas neste ano em que ambos podem disputar a reeleição.

“Não tem nada disso. Eu não penso em política. Eu penso em administração. As pessoas só pensam em política e em eleição”, afirmou o governador.

Em seguida, Amazonino sorriu e concluiu: “Também não tenho nada contra. Não sou inimigo de ninguém”, declarou.

Braga foi derrotado nas Eleições Suplementares de 2017 nas urnas por Amazonino Mendes, que foi lançado e apoiado pelo grupo do senador e pré-candidato ao Governo Omar Aziz (PSD). Após tomar posse, as insatisfações e rachas no grupo que saiu vencedor das urnas não tardaram  a aparecer.

Na campanha, Omar e Arthur fizeram um acordo com Amazonino de que ele “arrumaria a casa” e não concorreria à reeleição em 2018.  O governador, no entanto, além de desprestigiar os aliados na administração do Estado não dispensou o marqueteiro responsável por sua campanha.

Nas últimas semanas, Omar, Braga e Amazonino intensificaram ações no interior e também de bastidores. Nelas, as sinalizações e movimentos neste momento mostram Omar  para um lado e Braga e Amazonino em “namoro” para outro.

Racha exposto: Amazonino ataca Ronda do Bairro de Omar Aziz

Sinais de aliança entre Amazonino e Braga ainda mais robustos

“Omar deve ter se arrependido”, diz deputado de oposição Sabá Reis