O presidente da Câmara Municipal de Manaus, Wilker Barreto (PHS), trabalha junto à Casa Civil do prefeito Arthur Neto (PSDB) para dar celeridade à regulamentação do serviço de táxi por aplicativo Uber.

Wilker pediu que o líder do prefeito na Câmara, vereador Joelson Silva (PSDB), faça mediação para elaboração do decreto que garanta a regulamentação do serviço ainda neste mês.

Segundo sua expectativa, o presidente disse que a Procuradoria-Geral do Município (PGM) deve encaminhar a regulamentação ainda nesta semana, para que o prefeito Arthur Neto se posicione até o final do mês.

“Eu tenho certeza que isso vai trazer grandes avanços. Vários vereadores apoiaram a luta do aplicativo. Acredito que a Câmara foi determinante na mediação dessa importante discussão”, disse Wilker.

O presidente do Legislativo disse que a Comissão de Transporte, Mobilidade Urbana e Acessibilidade da casa acompanha o processo de regulamentação do serviço, que já funciona na capital.

 

Leia mais

Senador critica serviço do Uber no aeroporto de Manaus

O senador Telmário Mota (PTB-RR) protestou durante discurso no Senado no dia 23 de abril deste ano contra uma medida do aeroporto internacional Eduardo Gomes, em Manaus, que direciona passageiros diretamente da esteira de bagagens para uma porta exclusiva a usuários do sistema Uber.

Mota disse que visitou Roraima no fim de semana para prestar contas dos seus três anos de trabalho no Senado e consultar moradores sobre suas expectativas para a próxima legislatura. E, quando estava em casa, foi surpreendido por um grupo de taxistas amazonenses, que pediram apoio pelo fim do mapeamento.

Segundo o senador, os usuários do aplicativo são guiados por uma faixa exclusiva até uma das portas do aeroporto, enquanto os taxistas, que trabalham no local há 70 anos, nunca tiveram essa deferência.

Para ele, a medida, autorizada pela Infraero, “é uma expulsão, que culminará com o fim dos taxistas”. “O aeroporto está todo demarcado. É território do Uber. Devia escrever lá: aeroporto de Manaus: território do Uber. Táxi aqui não pode ter”, disse Mota.

Fonte: Agência Senado

 

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil