O deputado federal Pauderney Avelino (DEM) reuniu-se nesta sexta-feira, dia 9, com representantes das empresas que investem em pesquisa e desenvolvimento no Polo Industrial de Manaus. 

Na pauta, a medida provisória 810/2017, que amplia de 3 para 48 meses o prazo para as empresas brasileiras de informática, beneficiadas com incentivos fiscais associados a investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D), reinvestirem valores pendentes.

“No Amazonas temos quase R$ 1 bilhão em glosas e a MP dará segurança jurídica para as empresas realizarem o reinvestimento de recursos em pesquisa, que poderão ser destinados para Ufam, UEA e o CBA”, afirma Pauderney.

Articulação

O professor Mário Bessa, que esteve presente no encontro, lembra que a aproximação entre UEA e a Samsung aconteceu graças a uma articulação de Pauderney, tornando possível a construção do espaço Ocean, destinado ao curso de engenharia com diversas especialidades.

“Neste local ministramos cursos abertos à comunidade e aos estudantes da UEA, melhorando o nível dos alunos. Estamos perto de completar 5 anos de existência com a formação de mais de 30 mil alunos neste período”, afirma Bessa.

Interior

Apontando sugestões para destinação de recursos das glosas da medida provisória, o professor sugere que sejam feitos investimentos no interior do Amazonas, em cursos que ajudem o desenvolvimento local e das comunidades.

“Hoje o Brasil importa 94% de todo fertilizante que utiliza, sendo que temos a segunda maior mina de silvinita, aqui no Amazonas, que produz o potássio, principal fonte para produção de fertilizantes”, afirma Bessa.

Para Pauderney, a aprovação da medida provisória é fundamental para o futuro do Amazonas e para permanência das empresas, que encontrarão segurança jurídica para garantir este investimento.

“Temos a chance de preservar as empresas, gerar um plano de desenvolvimento regional, e principalmente, investir na formação dos nossos jovens com tecnologia de ponta”, afirma Pauderney.

*Com informações da assessoria de imprensa.