O prefeito de Tapauá, José Bezerra Guedes, o Zezito, do PMDB, foi preso na manhã desta terça, dia 27, acusado de comandar uma organização criminosa que desviou cerca de R$ 60 milhões em recursos públicos no município.

Além de Zezito, são alvo da operação Tapauara o presidente da Câmara Municipal, Alvemir de Oliveira Maia (PMDB), vereadores, secretários, servidores da prefeitura e empresários da cidade.

A operação cumpre 54 mandados de prisão, condução coercitiva e busca e apreensão no município e em Manaus.

Surgiu após denúncia do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), que organizou a operação Tapaura, que realiza com apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) e Delegacia Especializada no Combate ao Crime Organizado (DRCO).

Promotores de Justiça investigaram que Zezito comandava a organização criminosa a partir da Prefeitura de Tapauá que consistia em um esquema de corrupção generalizada.

Com o presidente da câmara, o prefeito fazia pagamento de propinas e de uma mesada mensal (mensalinho) aos vereadores para aprovação de medidas e processos licitatórios fraudulentos.

O dinheiro público chegava às mãos de vereadores, secretários e servidores da prefeitura por intermédio da empresa V.W. Comércio, Construções e Transportes, administrada pelo irmão do presidente da câmara, o empresário Walter Oliveira Maia, conhecido por “Waltinho”.

Foram apurados crimes e delitos diversos, como ameaças, uso de “laranjas”, corrupção ativa e passiva, fraudes a procedimentos licitatórios, lavagem de dinheiro, abuso de autoridade, entre outros.

Às 10h desta terça, o MP-AM vai informar à imprensa todos os detalhes da execução da operação.

 

Leia mais

Operação contra desvio de dinheiro público no interior já tem prisões

Foto: Reprodução/Facebook