O estudante de administração Willace Souza, de 23 anos de idade, filho do falecido deputado estadual Wallace Souza, está em movimentação política para disputar, este ano, vaga de deputado federal.

Há um mês ele se filiou ao Avante, partido que se articula com legendas do mesmo porte como o PPL, PMB, PSL, Patriota e PMN para construção de uma chapa que guarde distância dos grupos tradicionais da política do Amazonas.

A pré-candidatura dele à Câmara dos Deputados ocorreu depois que seu tio deputado federal Carlos Souza (PSDB), confirmou que não disputará a reeleição, para tentar vaga de parlamentar estadual e que seu outro tio político, o ex-deputado estadual Fausto Souza, também não tentará nenhum cargo eletivo nas eleições 2018.

Apesar disso, Willace disse ao BNC que sua candidatura estará dissociada da ideia que transformou seu pai e seus dois tios fenômenos de votos desde as eleições de 1998, quando Wallace foi eleito o deputado estadual mais votado daquele pleito, depois fez de Carlos o vereador mais votado da história de Manaus, em 2010, e logo em seguida transformando Fausto em deputado estadual.

Os três juntos se intitulavam “irmãos coragem”, por causa do programa policial “Canal Livre” que mantinham na TV e que desafiava bandidos da cidade, fazendo às vezes de Polícia.

Foi esse programa que rendeu alta audiência e votos para os irmãos Souza que os levou ao declínio e morte de Wallace, que foi acusado no fim de 2009 de tramar morte de bandidos para exibir o caso na televisão e aumentar sua audiência.

Depois dessa acusação, o ex-deputado foi expulso de seu partido político, o PP, cassado da ALE-AM, até morrer em julho de 2010 em decorrência de uma doença chamada ascite refratária, que se agravou depois de toda essa situação.

À época, a defesa de Wallace e familiares dele diziam que as acusações não tinham fundamento e que o deputado não havia morrido, mas assassinado pelo estado.

Willace acompanhou o caso sem aparecer na mídia. Era um adolescente de 15 anos e que agora, aos 23, tenta retomar o caminho do pai.

No ano passado, ele já demonstrou esse interesse na política ao subir na Tribunal da Assembleia Legislativa do Estado, em solenidade do Parlamento Jovem, projeto proposto por seu pai antes de sua morte.

 

Foto: Divulgação