A empresa Amazonas Energia, do grupo Eletrobrás, cobrou irregularmente R$ 3 bilhões na conta do consumidor durante anos. Agora, para não ter de devolver esse valor abatendo mensalmente nas contas dos clientes, a concessionária alega à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que empregou esse recurso na instalação de usinas térmicas.

Nesta quarta, dia 30, o diretor da Aneel, Tiago Correia, cobrou que a Eletrobrás comprove a existência dessas térmicas porque a Amazonas Energia não mostra onde estão essas usinas para receber o gás de Urucu, em Coari.

Os recursos foram usados para pagar uma taxa de uso mínimo do duto que leva gás natural do campo do município de Coari para Manaus —os contratos têm cláusulas que garantem à Petrobrás um volume mínimo, mesmo que o gás não seja usado.

“A Aneel não tem má vontade, mas a Eletrobrás tem que demonstrar a existência das térmicas”, afirmou Correia.

Ele diz que a companhia não abre os dados de geração por usina, preferindo informar dados globais.

Leia mais na Folha.

 

Leia mais

Amazonas Energia terá de devolver R$ 3,7 bi cobrados indevidamente

Foto: Reprodução/EBC