Relatório de perícia feita na Caixa Econômica em janeiro está sendo avaliado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) quanto a suspeita de indício de participação do presidente da República, Michel Temer (MDB), e de ministros em esquema de favorecimento empresas em troca de propina que levou ao afastamento de quatro vice-presidentes do banco estatal.

A perícia foi encomendada pela própria Caixa depois que o Ministério Público Federal (MPF) começou a investigar o esquema com a diretoria do banco, que liberava empréstimos em troca de propina.

Segundo o MPF, políticos do MDB tinham o poder de indicar uma parte da diretoria da Caixa.

Em dezembro do ano passado, com base na auditoria, o MPF recomendou que Temer afastasse os 12 vice-presidentes da estatal. O governo não acatou.

Os procuradores vão apurar se há indícios de que Temer, enquanto era o vice de Dilma Rousseff (PT), e ministros cometeram crimes relacionados à Caixa Econômica.

Leia mais no UOL Notícias.

 

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil