O general Hamilton Mourão (PSL), candidato a vice-presidente da República de Jair Bolsonaro (PSL), quer ir para os debates no lugar do companheiro de chapa que está internado.

Mourão afirmou ao Blog da jornalista Andréia Sadi, nesta quinta-feira (13), que a nova cirurgia a que o colega de chapa teve que ser submetido “aumenta o prazo” para o retorno do capitão do Exército à campanha eleitoral.

“Ele [Bolsonaro] tem que ficar quietinho, tava muito oba oba. Teve uma alimentação prematura, precisa se recuperar, e aumenta o prazo de retorno [à campanha]”, disse o candidato a vice.

Como o Blog antecipou na segunda-feira (10), Mourão quer substituir Bolsonaro nos debates na TV.

Diante da divisão na campanha sobre o tema, o general explicou ao Blog que vai submeter a ideia a Bolsonaro na segunda-feira, quando estará em São Paulo e deve visitar o candidato do PSL.

“É uma linha de ação reserva. Comandante sem plano reserva não é comandante. Ou, nos termos civis, é uma carta na manga, uma forma de manter a campanha na televisão, se Bolsonaro quiser e o TSE autorizar”, ressaltou Mourão.

 

“Jumento de carga”

No entanto, a legislação não prevê substituições de candidatos por seus vices em debates eleitorais. Ou seja, dificilmente Mourão conseguiria autorização para comparecer aos debates como representante de Bolsonaro.

Questionado pelo blog sobre se estaria preparado para os debates, ele respondeu: “Perfeitamente. Não me incomodo nem de ser chamado de jumento de carga”, ironizou, referindo-se à declaração de Ciro Gomes (PDT) durante sabatina aos jornais “O Globo” e “Valor Econômico” e à revista “Época”.

 

Foto: Reprodução/causaoperaria.org