A influência e a importância da internet e suas redes sociais nos processos eleitorais no Amazonas não têm a atenção devida dos candidatos ao mandato suplementar de governador do estado.

Eles investem pouco e mal na exploração das potencialidades das redes sociais e sites para divulgação de suas ideias. E assim, a mensagem pode não estar chegando ao eleitor.

Além disso, o pouco conteúdo que postam está dissociado do interesse dos seus seguidores, e sem a instantaneidade que se espera com a internet.

É a presença on-line e o diálogo direto que o internauta quer do candidato, para que se apresente e fale de suas propostas, sem intermediário.

De cada 10 eleitores no Amazonas, 8 buscam nas redes sociais e nos sites da internet as notícias atuais sobre política. Só 4% ainda esperam os jornais no dia seguinte para saber o que rolou na política hoje.

O recado que o internauta/eleitor está dando aos candidatos é que ele deseja vê-lo em vídeos e se manifestando em mensagens sem prolixidade, sem “encher linguiça”, como se diz no popular.

 

Eleição tampão

A partir de 14 de junho, quando os principais nomes que disputarão as eleições suplementares estavam definidos, o do ex-governador Amazonino Mendes (PDT) passou a ser o mais buscado na internet, seguido do senador Eduardo Braga (PMDB).

Amazonino, contudo, perde feio para Braga no Facebook, onde não tem uma página. Mesmo assim, analisando os perfis dos candidatos nessa rede, constata-se que ela não é bem explorada por nenhum deles.

E é justamente essa rede social que o eleitor mais acessa no Amazonas quando o assunto é política. De cada 10, oito (77,7%) estão no Face. Instagram e Whatsapp, com 6 e 5%, perdem para o Twitter, com 8%.

Braga é o que mais perdeu capital na sua base de seguidores no Facebook desde que José Melo (Pros) foi cassado do governo e o senador passou a falar em ser candidato ao mandato tampão. Braga tinha 2,2 mil seguidores, e caiu para 900 até o último dia 17.

Igual queda sofreu José Ricardo (PT), de 1,5 mil para menos de mil.

Cresceram Rebecca Garcia (PP) e Liliane Araújo (PPS) a partir do final de maio. Como candidatas, tinham uma base de seguidores baixa.

O que experimentou crescimento real entre os candidatos no Facebook foi Wilker Barreto (PHS), que mais que dobrou sua base de fãs, estando em 17 de junho acima de Braga e Zé Ricardo, com mais de mil seguidores.

Wilker e Liliane são os que melhor interagem com o eleitor-internauta, enquanto os demais vêm em queda livre, principalmente Rebecca, que ostenta o nível mais baixo de resposta ao seu fã.

Braga e Wilker são os que exploram melhor os recursos de mídia disponíveis no Facebook, como o vídeo, gravado ou ao vivo.

Rebecca tem o pior desempenho nesse quesito porque 100% dos seus posts são fotografias.

 

Estudo inédito

Todas essas conclusões são de um estudo inédito no Amazonas realizado pela empresa RG Organic.

Durante todo o mês de maio, e até o dia 17 de junho, um dia depois das convenções partidárias no Amazonas, a RG Organic traçou um mapa do cenário político consultando 1.422 eleitores em todos os 62 municípios do estado.

Informações detalhadas de monitoramento de redes sociais permitiram o cruzamento de dados que levam ao estudo pioneiro para mostrar como o meio político, particularmente os candidatos desta eleição suplementar, se relaciona com o eleitor pela internet.

Os principais focos pesquisados foram engajamento, interação, crescimento e anseios dos eleitores conectados, que se reflete na imagem do candidato nas redes sociais e no perfil do está sendo consumido pelo internauta.

Confira os dados do estudo citados acima. RG pesquisa 2 RG pesquisa 1

 

Foto: Reprodução/RG Organic