Um jovem de 18 anos, supostamente de nome Gabriel Lima Cardoso, foi linchado e teve seu corpo queimado em uma rua do município de Borba, a 151 quilômetros de Manaus, depois de ter sido arrancado por populares das dependências de um quartel da Polícia Militar na noite deste domingo, dia 8.

Segundo moradores da cidade, a mobilização para o linchamento foi toda organizada por redes sociais, convocando populares para o crime.

O rapaz era apontado como o principal suspeito de ter estuprado e matado a facadas uma adolescente de 14 anos, crime ocorrido no início deste mês.

Ele havia sido levado para o quartel porque ali teria melhor proteção do que na delegacia da Polícia Civil, uma vez que a população queria linchá-lo desde a hora em que havia sido preso, no final da tarde.

Arrancado do quartel e morto, o corpo do jovem foi jogado sobre um sofá em chamas providenciado ali mesmo, na frente do quartel. O irrisório número de policiais militares da cidade, como acontece em todos os municípios do Amazonas, não teve como evitar a cena macabra.

Vídeos com cenas desse caso de revolta e linchamento se espalham pela internet.

 

Leia mais

Um dia de fúria na delegacia de Novo Aripuanã

Casos de violência fazem SSP-AM reforçar polícia em Parintins e Maraã

 

Fotos: Reprodução/correio24horas.com.br