ESPECIAL PUBLICITÁRIO

 

Bolsa Universidade Aniversário Boi Manaus

 

Dezembro é o mês de conscientização e mobilização contra do avanço do HIV/AIDS e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). E as únicas formas de combate são a informação e a prevenção.

Conheça abaixo algumas dessas infecções, como detectá-las e as formas de tratamento.

Previna-se. Faça o teste. Cuide-se.

 

O que são IST?

As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de camisinha masculina ou feminina, com uma pessoa que esteja infectada. A transmissão de algumas IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.

O tratamento das pessoas com IST melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções. O atendimento e o tratamento são gratuitos nos serviços de saúde do SUS.

A terminologia Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) passa a ser adotada em substituição à expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), porque destaca a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo sem sinais e sintomas.

 

Conheça os tipos mais comuns de IST:

* Vírus do Papiloma Humano (HPV) – Infecção que causa verrugas em diversas partes do corpo, dependendo do tipo do vírus;

* Herpes Genital – Infecção comum caracterizada por dor e feridas nas áreas genitais;

* Clamídia – Doença comum e sexualmente transmissível que pode não apresentar sintomas;

* Gonorreia – Infecção bacteriana, que se manifesta por corrimentos pela vagina ou uretra, causando dor ao urinar. Se não for tratada, pode causar infertilidade;

* AIDS – Doença causada pelo vírus HIV, que interfere na capacidade do organismo de combater infecções;

* Sífilis – Infecção bacteriana com várias fases evolutivas, que vão desde o aparecimento de uma ferida indolor, podendo evoluir, caso não seja tratada, para lesões em órgãos como coração e cérebro.

 

O que é a Sífilis?

Uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior.

 

Quais são as formas de transmissão?

A Sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada, ou para a criança durante a gestação ou parto.

 

Sífilis Congênita: É a transmissão da Sífilis de mãe para filho. A infecção é grave e pode causar má-formação do feto, aborto ou morte do bebê, quando este nasce gravemente doente.

É importante que toda grávida realize o pré-natal e faça a testagem para detectar a Sífilis. Se o resultado é positivo, tanto a mulher como o seu parceiro deverão ser tratados. Só assim se consegue evitar a transmissão da doença.

A Sífilis tem cura e o tratamento de escolha é a penicilina benzatina, que está disponível nas Unidades de Saúde (SUS).

 

O que é HIV?

– HIV é uma sigla para vírus da imunodeficiência humana;

– É o vírus causador da AIDS, a Síndrome da Imunodeficiência Humana;

– Ela infecta o ser humano, destrói o seu sistema de defesa.

 

O que é AIDS?

Causada pelo vírus HIV que ataca as células responsáveis pela defesa do organismo, deixando a pessoa mais vulnerável a doenças oportunistas. A AIDS não tem cura, mas tem tratamento.

 

O que é HPV?

O HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) é um vírus que infecta a pele ou mucosas (oral, genital ou anal) das pessoas, provocando verrugas anogenitais (na região genital e ânus) e câncer, dependendo do tipo de vírus.

 

Quais são as formas de transmissão?

A transmissão do HPV se dá por contato direto com a pele ou mucosa infectada. A principal forma de transmissão é pela via sexual, que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital. Portanto, o contágio com o HPV pode ocorrer mesmo na ausência de penetração vaginal ou anal. Também pode haver transmissão durante o parto.

Como muitas pessoas infectadas pelo HPV não apresentam sinais ou sintomas, elas não sabem que têm o vírus, mas podem transmiti-lo.

Vacinar-se contra o HPV é a medida mais eficaz para se prevenir contra a infecção. A vacina é distribuída gratuitamente pelo SUS e é indicada para:

* Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos;

* Pessoas que vivem com HIV na faixa etária de 9 a 26 anos;

* Pessoas transplantadas na faixa etária de 9 a 26 anos.

Ressalta-se, porém, que a vacina não é um tratamento e não apresenta eficácia contra infecções ou lesões por HPV já existentes.

 

O que é Prevenção Combinada e como ela funciona?

A prevenção combinada abrange diferentes métodos que podem ser usados, de acordo com as características e os momentos da vida de cada pessoa. Os métodos que a prevenção combinada disponibiliza são: uso da camisinha masculina ou feminina, diagnóstico e tratamento das IST, testagem para HIV, sífilis e hepatites virais B e C, profilaxia pós-exposição ao HIV, imunização para HPV e hepatite B, prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatite B, tratamento antirretroviral para todas as PVHIV, redução de danos, entre outros.

Para mais informações, procure uma Unidade de Saúde ou acesse o site semsa.manaus.am.gov.br

 

Dezembro

 

Bolsa Universidade 1 trânsito semana 2