Os imigrantes venezuelanos foram o foco da força-tarefa do poder público, no fim de semana, na Zona Leste de Manaus

Centenas deles receberam atendimentos médicos e obtiveram documentos pessoais, durante mutirão realizado no sábado, dia 17, na sede do Pronto Atendimento ao Cidadão localizado no bairro São José.

A iniciativa foi coordenada pelo Ministério Público Federal (MPF), em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Defensoria Pública da União (DPU).

O mutirão contou com o apoio de órgãos públicos estaduais, municipais e federais para a realização dos atendimentos e prestação dos serviços disponibilizados.

As atividades são acompanhadas pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

A ação faz parte das medidas de acompanhamento que o MPF tem empregado para garantir apoio humanitário aos imigrantes venezuelanos indígenas e não indígenas pelos órgãos públicos na capital amazonense.

Durante o mutirão, 250 atendimentos foram realizados pelos servidores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), com a emissão imediata de 75 carteiras de trabalho.

Já a Receita Federal atendeu a 200 solicitações para emissão de Cadastro de Pessoa Física (CPF).

 

Saúde

Os serviços oferecidos pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) aos venezuelanos resultaram 211 consultas, 35 encaminhamentos para especialistas, 46 solicitações de exames, emissão de 195 receitas, realização de 95 exames dermatológicos e aplicação de 270 doses de vacina.

Ainda foram realizadas 292 testagens rápidas de HIV, 17 exames para diagnóstico de tuberculose e 35 exames de diagnóstico de malária.

A Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) contribuiu na ação com a realização de 35 inclusões no Cadastro Único para participação dos cadastrados em programas governamentais.

Todos os atendimentos continuarão sendo prestados aos venezuelanos no próximo sábado (24), no mesmo local.

Fonte: Ascom/MPF

 

Foto: José Nildo/Semsa/Semcom