Sem acordo com o governo do Amazonas, professores da rede estadual começam nesta segunda-feira, dia 15, a greve por reajuste salarial.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) e o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom) esperam adesão de 30 mil  profissionais em 23 municípios.

O Sinteam começa o movimento com uma caminhada às 9h da manhã entre a Praça Heliodoro Balbi, mais conhecida como Praça da Polícia, e a Praça da Matriz, ambas no Centro de Manaus. Em seguida,  os trabalhadores se reúnem nos comandos de greve situados nas diversas zonas da cidade, onde serão realizados encontros para esclarecer aos pais e alunos sobre os motivos da mobilização.

O Asprom  promove uma Assembleia Geral de greve também às 9h.

 

Leia mais 

Professores marcam data e mostram disposição para greve geral

 

Os trabalhadores reivindicam 15% de reajuste salarial. O governo quer pagar 3,93%.

De acordo o secretário de Educação (Seduc), Luiz Castro (Rede), o índice baseia-se em critério estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que impede o ajuste de valor acima da inflação referente ao período 2018/2019.