Uma mulher, que não teve identidade revelada, foi flagrada pelos equipamentos de revista por imagem do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, tentando levar para presidiário aproximadamente 700 gramas de droga, cujo tipo não foi revelado. A quantidade para esse modo de tráfico é recorde nos presídios do Amazonas.

O caso aconteceu durante o horário de visita deste domingo, dia 14, e foi divulgado pelo Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Segundo a secretaria, a mulher superou em 300 gramas a marca anterior conquistada por uma visitante, também flagrada pelo bodyscan, que faz escaneamento corporal e substitui o antigo método, em que a suspeita era obrigada a se despedir e realizar agachamentos para expelir a droga.

Além dessa ocorrência, outra mulher foi flagrada no mesmo modus operandis no sábado, também no Compaj, tentando introduzir no presídio 100 gramas de droga.

 

Leia mais

‘Controle dos presídios, agora, está nas mãos do estado’, diz titular da Seap

 

Mais droga nas partes íntimas

Na mesma hora os agentes penitenciários do Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM 1) flagravam duas mulheres tentando entrar com drogas escondidas nas partes íntimas. Eram 49 e 154 gramas.

Essas mulheres, que podem estar sendo obrigadas por ordens de dentro do presídio a se aventurar em ação a cada dia melhor combatida pela Seap, além de serem fichadas na polícia, podem perder a permissão de visitante.

Para denunciar em sigilo uma pessoa que está levando droga para dentro dos presídios a Seap disponibilizar o celular 92 99297.3068.

 

Foto: Divulgação/Seap