O prefeito de Manaus, o ex-senador Arthur Virgílio Neto (PSDB), comentou ao BNC Amazonas que o melhor mesmo era se o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, então juiz da primeira instância da operação Lava Jato, não tivesse tido a conversa, vazada de seu celular por site na internet neste domingo, com o procurador da força-tarefa do Ministério Público Deltan Dallagnol.

Arthur falou do episódio nesta segunda, dia 10, durante visita do ministro ao sistema prisional do Amazonas na capital.

“Tenho uma relação pessoal com ele [Moro], mas eu preferia que a conversa não tivesse havido. Não conheço o procurador [Deltan] Dallagnol, mas sinceramente eu preferia que a conversa não tivesse havido. Até em proteção à própria Lava Jato, em proteção à reputação das pessoas envolvidas, a tudo isso”, disse.

 

Leia mais

Omar sugere evitar precipitação sobre conversas vazadas de Moro

 

Sérgio Moro pega petistas do Amazonas no contrapé

 

Lava Jato segue

Quanto ao futuro da Lava Jato, Arthur disse que não vê problema porque hoje são outras pessoas que tocam a operação na Justiça. “Eu não vejo que ela esteja em perigo. Outros estão cuidando dela, e ele [Moro] está cuidando da segurança nacional”.

 

Foto: Divulgação/Semcom