As Forças Armadas continuam no topo de maior confiança da população junto da Presidência da República, em segundo lugar. O Congresso Nacional está em penúltimo à frente somente dos partidos políticos. Este é o resultado da pesquisa feita pelo Instituto Datafolha no começo de abril em 130 municípios brasileiros.

Em junho de 2018, sob gestão Michel Temer (MDB), apenas 5% confiavam muito, e 64% não confiavam na Presidência da República.

Agora, são 29% os que confiam muito e outros 29% os que não confiam. Os que confiam um pouco são 41%.

Segundo o instituto, que publicou a pesquisa na madrugada deste sábado (13), no site do jornal “Folha de S.Paulo”,  32% dos brasileiros acham que a atuação do Congresso Nacional (com parlamentares eleitos em 2018) é ruim ou péssima, 22% aprovam e 41% consideram regular.

De acordo com a pesquisa, o índice de aprovação é o maior patamar já aferido em início de legislatura. Em 2015, 11% aprovavam. Em 2007, percentual era de 16%.

O Datafolha ouviu 2.086 pessoas nos dias 2 e 3 de abril em 130 municípios de todo o Brasil.

A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

Em dezembro, o Datafolha perguntou o que a população esperava do novo Congresso: 56% afirmaram ter expectativa ótima ou boa; 28% regular e 8% ruim ou péssima. 8% não souberam responder.

 

Instituições

Mesmo assim, segundo o Congresso em Foco, entre as instituições que constavam na pesquisa, o Congresso só ganha dos partidos políticos, e perde para o Exército, que tem o maior índice de confiança (45% confiam muito), para a Presidência da República (29% confiam muito), para o Ministério Público (25% confiam muito), para a Imprensa (24% confiam muito), para as grandes empresas (22% confiam muito) e para o Supremo Tribunal Federal (18% confiam muito).

O Congresso perde até para as redes sociais quando se consideram aqueles que confiam muito. As redes têm 10%, enquanto o Congresso tem 8%.

 

Leia mais

Partidos querem liberdade para fazer farra com dinheiro público

 

Foto: Agência Brasil