Uma prática que não é de hoje continua se repetindo no governo de Wilson Lima (PSC): empresas terceirizadas que prestam serviços ao estado não fazem o pagamento correto de seus funcionários.

A afirmação foi feita nesta quinta, dia 7, pelo secretário de Saúde (Susam) e vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho (PRTB), em entrevista ao “Manhã de Notícias”, da Rede Tiradentes.

Segundo o secretário, o Governo do Estado vai ao Ministério Público do Trabalho (MPT) buscar uma solução a esse problema, que tem levado à falta de pessoal nas unidades, conforme constatado pelo governador e vice na inspeção nesse feriado de carnaval.

“O ministério público já tem nos procurado, e vamos buscar também uma solução. Não adianta nada a Susam pagar as empresas e elas não repassarem aos trabalhadores”, afirmou.

Almeida Filho disse que os próprios médicos e outros profissionais têm informado ao portal de transparência do governo essa situação, de atraso de pagamentos.

 

Leia mais

Manaus tem vacina do H1N1, mas só no dinheiro. Deputado cobra

 

Fôlego do FTI

O esforço do governo, que ganhou fôlego com a autorização da Assembleia Legislativa (ALE-AM) para o uso de R$ 350 milhões de verba do FTI (fundo de turismo e infraestrutura dos municípios), é manter primeiramente o pagamento das empresas do mês corrente.

A Susam reconhece que ainda há prestador de serviço com até cinco meses de dívida a receber, deixado pelo governo anterior. O secretário disse que a meta é chegar até maio com dois meses de atraso e negociar esse passivo em um acordo (termo de gestão) com o Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM).

 

Foto: BNC Amazonas