A deputada estadual, eleita com 2 milhões de votos, Janaína Paschoal (PSL-SP), surpreendeu os seguidores do presidente Jair Bolsonaro (PSL) ao se manifestar, contundentemente, contrária às manifestações a favor do governo, agendadas para o próximo domingo, dia 26, em todo o país. E mostrou disposição de abandonar o partido.

A reação dela teve repercussão geral, e publicada, entre outros sites, pelo Portal Mídia.

De acordo com o Mídia, candidata mais votada na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), a advogada sinalizou a possível desfiliação em uma mensagem enviada, na segunda-feira, 20, no grupo de WhatsApp da bancada do partido no Legislativo paulista.

“Amigos, vocês estão sendo cegos. Estou saindo do grupo, vou ver como faço para sair da bancada. Acho que os ajudei na eleição, mas preciso pensar no país. Isso tudo é responsabilidade”, escreveu a parlamentar na mensagem reproduzida pelo site O Antagonista e confirmada pelo jornal O Estado de S. Paulo com deputados do PSL.

Em seguida, conforme as publicações, ela deixou o grupo.

Janaína foi a deputada estadual mais votada da história do País, com 2 milhões de votos, o que ajudou o PSL a ter a maior bancada da Assembleia, com 15 deputados.

Nos últimos dias, a deputada, que ficou conhecida por ter sido uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente cassada Dilma Rousseff (PT), em 2016, publicou uma série de mensagens no Twitter na qual afirma ser contra os atos que estão sendo convocados para apoiar o presidente Bolsonaro no dia 26 de maio.

Para ela, é um erro os políticos do PSL se envolverem na organização das manifestações pró-governo pouco mais de uma semana após os atos que ocorreram em mais de 250 cidades do País contra os cortes feitos na Educação.

“Pelo amor de Deus, parem as convocações! Essas pessoas precisam de um choque de realidade. Não tem sentido quem está com o poder convocar manifestações! Raciocinem! Eu só peço o básico! Reflitam!”, escreveu no fim de semana.

“Àqueles que amam o Brasil, eu rogo: não se permitam usar! Não me calei diante dos crimes da esquerda, não me calarei diante da irresponsabilidade da direita”, afirmou Janaina.

Leia mais no Portal Mídia

 

Foto: Marcelo Camargo/ABr/arquivo