O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) marca hoje, oficialmente, seus projetos prioritários para o desenvolvimento da região amazônica.

Esses projetos se concentram no Oeste do Pará e incluem a construção de uma ponte sobre o Rio Amazonas na cidade de Óbidos, uma hidrelétrica em Oriximiná e a extensão da BR-163 até a fronteira do Suriname.

Essa rodovia, hoje, liga o rio Grande do Sul a Santarém (PA).

O marco da demonstração de vontade política com a região ocorre nesta terça-feira, dia 12, com a ida a Tiriós (PA) dos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, e da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

A informação é a manchete de hoje do jornal O Estado de S.Paulo.

Reprodução/Estadão

“A escolha não é casual. O avanço nessas áreas isoladas da floresta e na fronteira atende também a um compromisso de campanha do presidente Jair Bolsonaro de aumentar a presença do Estado no chamado Triplo A. Trata-se de uma área que se estende dos Andes ao Atlântico, onde organismos internacionais supostamente pretendem criar uma faixa independente para preservação ambiental”, diz o jornal.

Fora dos investimentos diretos, a Zona Franca de Manaus entraria como beneficiária indireta de uma das obras anunciadas: da hidrelétrica em Oriximiná.

“A hidrelétrica teria, na avaliação do governo, o propósito de abastecer a Zona Franca de Manaus e região, reduzindo apagões”, diz a notícia.

Sobre a BR-163 e a ponte de Óbidos, o jornal diz:

“A ampliação da BR-163 – construída nos anos 1970, ainda inacabada e notícia por causa de seus atoleiros – cumpriria uma meta de integração da Região Norte. Já a ponte ligaria as duas margens do Amazonas por via terrestre, ainda feita por travessia de barcos e balsas. O projeto serviria como mais um caminho para o escoamento da produção de grãos do Centro-Oeste”.

BR-319 está fora

Há uma semana, o governador Wilson Lima, e a bancada do Amazonas estiveram com o ministro da Infraestrutura, Tarsício Freitas, questionando o fato dele ter anunciado no fim de janeiro, em São Paulo, investimentos em estradas da ordem de R$ 100 bilhões e ter excluído a BR-319 (Manaus-Porto Velho).

Na ocasião, o ministro disse que o governo iria sim investir na rodovia que interliga Amazonas e Rondônia, porém, o governo faz novo anúncio e deixa de fora a BR.

Foto: Divulgação