As eleições 2018 devem mobilizar cerca de dois milhões de mesários em todo país, sendo que a metade deles são voluntários para o trabalho no dia da eleição. O mesário é o representante da Justiça Eleitoral na seção de votação. Cabe a ele receber e identificar os eleitores – seja pela verificação de documentos e coleta de assinaturas ou pela verificação biométrica –, compor as mesas de votos e justificativas, fiscalizar e desempenhar tarefas logísticas e de organização da seção para a qual foi designado.

Para atuar como mesário, o escolhido recebe treinamentos específicos e orientações de técnicos da Justiça Eleitoral, que o prepara para atuar no dia das eleições. A cada eleição, a Justiça Eleitoral convoca eleitores maiores de 18 anos e em situação regular para atuar no dia da votação.

Leia mais:

Partidos já “torraram” na campanha R$ 1,4 bilhão de R$ 2,589 bilhões

A convocação exclui candidatos e seus parentes, ainda que por afinidade, até o segundo grau, e seu cônjuge; membros de diretórios de partidos políticos, desde que exerçam função executiva; autoridades, agentes policiais e funcionários no desempenho de funções de confiança do Executivo; e funcionários do serviço eleitoral.

O eleitor que atua como mesário, além de contribuir para a realização das eleições, tem direito à dispensa do serviço pelo dobro de dias e ao desempate em concursos da Justiça Eleitoral, quando prevista essa possibilidade no edital.

Programa Mesário Voluntário

Para ampliar a participação de mesários voluntários nas eleições, a Justiça Eleitoral criou o Programa Mesário Voluntário, que incentiva a adesão aos serviços eleitorais de maneira consciente e espontânea. Desde 2004, são desenvolvidas ações para estimular a cooperação do cidadão com a realização das eleições. Os interessados podem buscar mais informações nos sites dos tribunais regionais eleitorais ou com a Ouvidoria do TSE.

Treinamento também a distância

O treinamento de mesários ocorre nas modalidades presencial e a distância. Neste ano, a Justiça Eleitoral preparara cerca de 180 mil mesários por meio de curso a distância. Quem trabalhar na eleição também poderá utilizar o aplicativo Mesário, ferramenta que disponibiliza informações complementares ao treinamento e pode ser obtida gratuitamente nas lojas Google e Apple. Criado em 2016, o App reúne informações para quem foi convocado ou se voluntariou para atuar nas eleições.

A ferramenta – que está com nova interface neste ano – permite acesso direto a todas as informações de interesse dos mesários de modo rápido e intuitivo, responde a dúvidas que possam surgir e ainda oferece links de acesso para conteúdos on-line e off-line, como manuais e vídeos de treinamento, passo a passo para o dia da eleição e uma série de perguntas e respostas para orientar a atuação do mesário. Pelo App, também são enviadas notificações, avisos e alertas dos TREs. Após as eleições, o mesário tem acesso a um formulário para feedback à Justiça Eleitoral.

Os mesários convocados e voluntários devem ficar atentos à data local do curso preparatório, conforme informado pela Justiça Eleitoral. Para o treinamento a distânciaé necessária a chave de inscrição, fornecida pelo cartório eleitoral. O número de vagas é limitado e compete ao tribunal regional de cada estado distribuí-las. Se o mesário não recebeu a chave de inscrição, é porque não há treinamento a distância disponível.

Fonte: TSE – Foto: Divulgação/TSE