Os donos da empresa Calabura Participações e Empreendimentos vão pedir na Justiça, na semana vem, a execução do mandado de reintegração de posse de uma área de mais de 300 mil metros quadrados que o governador Amazonino Mendes (PDT) doou para os invasores da terra, durante a campanha eleitoral, em Tefé.

A reintegração já foi determinada pela Justiça em julho de 2016.

O imóvel, transformado em conjunto residencial pela prefeitura local com o nome de Jatobá, vinha sendo ocupado desde 2014 e, em meio à disputa judicial do patrimônio, foi prometido por Amazonino aos invasores.

O problema, segundo os donos da terra, é que o estado não cumpriu com sua parte com a empresa, apesar de ter editado decreto de desapropriação da área, no dia 17 de setembro deste ano.

A Calabura quer a imediata desocupação da terra, que hoje é ocupada por mais de 600 famílias.

A terra, que é uma área de expansão urbana da cidade de Tefé, está avaliada em cerca de R$ 18 milhões, mas o governo arbitrou um valor bem abaixo do estabelecido, R$ 3,8 milhões, porém não cumpriu o acordo com a Calabura.

 

Foto: Reprodução/Facebook