Para ultimar os detalhes do início das operações de exploração do gás natural do campo do Azulão, nos municípios de Silves e Itapiranga, previstas para outubro deste ano, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), se reuniu com os empresários da Eneva, em Brasília, nesta terça, dia 13.

As operações iniciais envolvem instalação de equipamentos e perfuração de três poços.

A Eneva é companhia brasileira, com participação de capital alemão, que ganhou em leilão o direito de explorar o campo de gás natural Azulão, no Amazonas.

O grupo também é um dos vencedores do leilão para o suprimento de energia elétrica da capital Boa Vista e demais regiões de Roraima.

“Na parte que cabe ao estado, temos dado celeridade aos trâmites no sentido de desburocratizar o que é possível. Isso porque entendemos que a questão mineral é fundamental para o desenvolvimento do nosso estado”, disse Wilson.

Segundo ele, o gás pode ser uma nova matriz econômica e atrativo para investimentos em outros segmentos no Amazonas. “Temos tudo para atrair novos investimentos e também para gerar ainda mais emprego”.

Além de fornecer gás para empresas no estado, Wilson disse que o produto do Amazonas já tem um mercado certo, que é Roraima, hoje dependente da energia fornecida pela Venezuela.

 

Leia mais

Gás de cozinha poderá ser vendido a quilo e botijão sem marca

 

Sobre o campo do Azulão

A Eneva ganhou, em leilão, o direito de explorar o campo de gás natural Azulão, que foi descoberto em 1999 e vendido pela Petrobrás em 2017, por US$ 54,5 milhões.

A empresa atua em outros estados brasileiros com geração, venda e logística de energia elétrica.

 

Leia mais

 

Fomento ao gás natural no Amazonas é tema de reunião entre Wilson e ministro

 

Foto: Diego Péres/Secom