A Resiplastic Indústria e Comércio, empresa especializada no desenvolvimento e produção de termoplásticos, pretende se instalar no polo industrial da Zona Franca de Manaus (ZFM) ainda neste ano.

A empresa, que possui quatro unidades instaladas no Brasil, pretende encaminhar, incialmente, ao Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) o projeto para a fabricação de componentes plásticos.

A produção de sensores para tanques de combustíveis está sendo avaliada para uma fase posterior.

Os valores do projeto, investimento e mão de obra ainda estão sendo fechados.

Dois executivos da Resiplastic, o diretor José Zacarelli Salgueiro e o gerente-geral Marcio Pavan, reuniram-se, na última sexta-feira, dia 5, com o secretário-executivo de Desenvolvimento do Codam, Renato Mendes Freitas, e equipe técnica, para alinhar informações acerca das estratégias de operação no mercado local.

A rotomoldagem, atividade em que a empresa é referência, é um processo industrial de transformação de termoplásticos.

A empresa atua em diversos segmentos com produtos próprios nas linhas automotivas (catálogo e tanques para combustíveis) e moto peças (baú para motocicletas).

 

História

A Resiplastic iniciou suas atividades em 1987 na cidade de Ribeirão Pires, na região do ABC Paulista, tendo como seu primeiro produto boias para a indústria pesqueira.

Em 1989, expandiu-se no ramo de peças termoplásticas, com o desenvolvimento de caixas de semente e de adubo para máquinas agrícolas de plantio direto.

Devido ao aumento da demanda e à abertura de novos setores, a empresa teve a necessidade de aumentar sua capacidade física e produtiva, mudando-se em 1996 para instalações próprias na cidade de Mauá, também no ABC Paulista.

Em 2002, fechou uma joint venture com a Rubbermaid para produção de brinquedos rotomoldados para a Little Tikes, filial da empresa norte-americana.

 Leia mais:

“ZFM é um ativo para o país”, afirma Gerdau a Wilson

 

 

Foto: Divulgação/Seplancti