Um suposto médico, não identificado, gravou dois vídeos da sala de cirurgia do hospital estadual Platão Araújo, na zona leste de Manaus, para denunciar a total falta de condições de trabalho para levar adiante o seu trabalho.

Segundo ele, mostrando suposta parte ensanguentada do paciente ao fundo, até ali tinha improvisado material para suturar a cirurgia. Mas, faltava um fio específico para costurar uma artéria.

A intenção do denunciante, conforme afirma, é alertar a sociedade e as autoridades sobre as dificuldades que os profissionais estão enfrentando no dia a dia de uma das cidades mais violentas do país. O Platão Araújo é o destino de boa parte das vítimas da criminalidade, até por estar, ao lado do hospital João Lúcio, na zona leste de Manaus, na fronteira com a norte, as mais populosas e líderes nos índices criminais.

Em resposta genérica às denúncias sobre a crise no sistema de saúde, o secretário da pasta e vice-governador, Carlos Almeida Filho, também gravou um vídeo em rede social.

De acordo com ele, são muitas as informações sobre os problemas que tem recebido. Para o secretário, não são novidades porque o governo detectou tudo isso logo que assumiu. E que os profissionais da área de saúde sabem disso. “O abastecimento [de material] é crítico e crônico. Vamos mudar isso, e todos são parte da solução”, afirma.

Nesta terça, na abertura das atividades do ano da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), o governador Wilson Lima (PSC) disse que a situação da saúde do estado está em coma.

Ele reconheceu que médicos e empresas fornecedoras e prestadoras de serviços estão a três meses sem receber pagamentos, dívida que herdou do governo de Amazonino Mendes (PDT) e que está buscando uma solução. Segundo Wilson, o rombo na saúde é de R$ 1,1 bilhão.

 

Veja os vídeos do médico e do secretário de Saúde

 

 

 

Manifestação de Carlos Almeida Filho no Instagram

 

Fotos: Reprodução/vídeos YouTube