Da Redação

 

A Associação Nacional dos Membros do Ministério Público, ainda chamada de Conamp (nome de origem), vai enviar um ofício nesta terça-feira, dia 11, ao governador e candidato à reeleição Amazonino Mendes (PDT) fazendo um apelo em favor da promotora e subprocurador geral de Justiça, Leda Mara Nascimento Albuquerque.

A entidade vai pedir que ele acolha a vontade dos promotores e procuradores de Justiça do Amazonas, que a tornaram mais votada ao cargo de chefe do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) para substituir o procurador-geral Fábio Monteiro.

A eleição ocorreu nesta segunda-feira, dia 10, e dos quatro que disputam o posto ela foi a mais votada com 123 votos, num universo de 162 eleitores que foram às urnas. Cada eleitor podia votar em até três  nomes.

O ofício da Conamp chegará juntamente com a listra tríplice que o Ministério Público enviará ao governador Amazonino Mendes, a quem caberá a palavra final sobre o escolhido, que cumprirá mandato de dois anos.

Além do lobby da associação, o governador receberá apelo de membros do MP-AM para que possa levar em conta o fato de que o órgão não é gerido por uma mulher há cerca de 15 anos.

Lista tríplice

Os segundo e terceiro colocados, respectivamente, foram o procurador José Roque Marques, com 89 votos, e o promotor Paulo Stélio Guimarães, com 80. O quarto nome na disputa, de Reinaldo Alberto Lima, obteve 76 votos.

Votação histórica

A promotora de justiça Leda Mara recebeu uma votação histórica na eleição desta segunda-feira em processos internos de escolha de PGJ. Com 123 votos, foi mais votada que o procurador Francisco Cruz que, até hoje, tinha o título de campeão de votos com 118 votos, quando foi reeleito para o seu segundo mandato no ano 2012.

30 eleitores a mais

O eleitorado, na época de Francisco Cruz, era de 30 promotores a menos. Leda tem ainda outro feito era a única mulher na competição interna e colocou em segundo lugar o procurador de Justiça José Roque que já exerceu o mandato de corregedor geral do MP-AM por quatro anos.

 

Nas mãos de Amazonino

O governador Amazonino Mendes tem até 15 dias, após receber oficialmente a lista  tríplice,  para escolher e nomear o novo PGJ. A Secretaria de Comunicação informou que o Governo só tratará sobre o  assunto quando for notificado oficialmente pelo MP-AM.

TJ foi rápido

No  processo de escolha do novo desembargador do TJ-AM, a nomeação não demorou nem duas horas após a chegada da lista tríplice ao governo.

 

Pedro no sapato

Juristas que acompanham de perto o processo consideram que o marido da promotora, o ex-senador e candidato a deputado estadual, João Pedro (PT), pode ser uma pedra no sapato dela na fase que envolve uma escolha política. A linha e grupo político de Amazonino são diferentes dos de João Pedro.

 

Favorito de Mauro

 

Outros juristas apostam quase todas as fichas de que o procurador José Roque tem grandes chances de ser o novo PG. Acreditam que Roque tem relações próximas do ministro do STJ, Mauro Campbell, que já demonstrou forte influência nos bastidores na escolha de nomes para ocupar espaços de poder no judiciário.

Foto: BNC

 

Leda Mara é mais votada para procuradora-geral do MP-AM