O ex-executivo da JBS, Ricardo Saud, é um dos dez já presos pela Polícia Federal que deflagrou na manhã desta sexta-feira, dia 9, a  operação Capitu, um desdobramento da Lava Jato.

Saud é o mesmo que em delação, em maio de 2017, citou o nome do senador Eduardo Braga (MDB) como integrante do grupo da legenda que nas eleições presidenciais de 2014 vendeu apoio político ao Partido dos Trabalhadores (PT) e sua candidata, Dilma Rousseff.

 

Leia mais 

Braga é citado no grupo do PMDB que vendeu apoio ao PT

Braga teria participado, segundo o depoimento de Ricardo Saud, da partilha de R$ 35 milhões que o PT sacou de sua “conta-propina” junto à empresa.

À época, o senador pelo Amazonas afirmou que a citação era “absurda e falsa”.

Joesley de novo

Na operação de hoje, o empresário Joesley Batista foi preso novamente junto com o vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (MDB).

Os federais investigam suposto esquema de corrupção no Ministério da Agricultura em 2013, quando Andrade foi Ministro, na gestão de Dilma Rousseff (PT).

 

Leia mais 

“Citação na Lava Jato é absurda e falsa”, afirma Braga sobre matéria da Época

STF manda Polícia Federal investigar Eduardo Braga na Lava Jato