Uma operação da Polícia Federal deflagrada na manhã desta sexta-feira, dia 9, com o nome “Capitu”, prendeu há pouco o empresário da JBS Joesley Batista, o vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (foto, MDB), e o deputado João Magalhães (MDB-MG).

A operação, desdobramento da Lava Jato, investiga suposto esquema de corrupção no Ministério da Agricultura em 2013, quando Andrade foi Ministro, na gestão de Dilma Rousseff (PT).

O empresário Ricardo Saud (ex-diretor da J&F, holding que controla a JBS) não foi preso porque está fora do Brasil, mas ele é alvo desta ação de hoje da PF.

Informações do momento indicam que os policiais federais deflagraram os mandados em Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba e Mato Grosso.

No total, são 62 mandados de busca e apreensão, dos quais 26 apenas na capital mineira.

A operação é baseada na delação de Lúcio Funaro, apontado como operador do MDB. Segundo as investigações, havia um esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura para beneficiar políticos do MDB, que recebiam dinheiro da JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, em troca de medidas para beneficiar as empresas do grupo.

Em 2017,  durante delação premiada à Procuradoria-Geral da República, o empresário Joesley Batista revelou que atuou com o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) e Lúcio Funaro em esquema de corrupção no Ministério da Agricultura para favorecer as empresas.

Com informações da Folha de S.Paulo e Agência Brasil

 

Foto: Wellington Pedro/ Imprensa MG