A deputada Janaína Paschoal baixou a temperatura e disse, nesta terça-feira, dia 21, que não se desligará do PSL como havia prenunciado na segunda-feira, 20, ao criticar duramente e publicamente o presidente Jair Bolsonaro e a organização das manifestações de apoio ao governo, previstas para o próximo domingo, dia 26. Ela é contrária ao ato. As informações constam do BR18.

Segundo o site, a deputada estadual de 2 milhões de votos, por São Paulo, entrou em contato com o presidente do PSL, Luciano Bivar, para recuar do que havia dito em rede social e da qual se desligou no mesmo dia – um grupo do WhatsApp.

Ela teria garantido a Bivar que não sairá do partido.

Em entrevista ao Broadcast Político, Bivar relatou que tem agido para resolver os atritos entre políticos do partido que discutiram pelo Twitter nos últimos dias.

Ele fez um apelo para que políticos do PSL deixem de ser “reféns” das redes sociais.

Segundo Bivar, o fato de políticos da legenda cederem a apelos de redes prejudica a governabilidade de Bolsonaro.

“Dificulta porque nem sempre as redes sociais têm o sentimento do que é o jogo político, no bom sentido, e para que a gente viabilize alguma coisa a gente não pode botar no julgo popular”.

 

Foto: Reprodução/BNews