Neuton Corrêa e Aguinaldo Rodrigues, da Redação

 

A capital do Amazonas foi um dos locais onde o ex-presidente do Peru Alan García estreitou relações com o ex-presidente da República Lula da Silva (PT) e a construtora Odebrecht para contratos que nos últimos anos resultaram em investigações da operação “Lava Jato” peruana e no consequente suicídio de Garcia nesta quarta-feira, dia 17.

O contato com Lula e a Odebrecht, em Manaus, no Tropical Hotel e no Studio 5, foi no dia 16 de junho de 2010.

Em um dos dois discursos que fez na cidade, Lula até citou, com grau de intimidade, a presença do então presidente da construtora Marcelo Odebrecht, conforme registro da biblioteca da Presidência da República.

Lula até brinca com Marcelo para que faça uma obra de qualidade, referindo-se à Transoceânica pretendida pelos governos do Brasil e do Peru, na ocasião.

“Bem, o meu compromisso com o presidente Alan García é que nós iremos inaugurar a Transoceânica, desde que a gente possa andar umas duas ou três horas de carro até chegar… para ver a qualidade da estrada, viu, ô Marcelo. Você, você tome cuidado que nós vamos fiscalizar a estrada”.

 

O cimento peruano

Nesse encontro, também, Alan García pretendia vender o cimento peruano para o Amazonas, negócio visto com bons olhos por Lula.

“O pessoal não tem noção do sacrifício que Acre, Rondônia… agora, Rondônia, não. Agora, Rondônia está montando uma estrutura toda, com as hidrelétricas, mas Acre e uma parte do Amazonas sofrem com o preço de material que tem que vir de outras regiões do país”, discursou Lula na ocasião, mostrando que enquanto em outros regiões do Brasil o preço do cimento estava na casa de US$ 14, no Peru não passava de US$ 6.

 

Sucessão 2010

Foi nessa viagem, também, com a presença de Alan García, que Lula comparou a política às nuvens:

“Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou”.

A metáfora foi entendida, na ocasião, como recado à candidatura ao Governo do Amazonas do então ministro dos Transportes Alfredo Nascimento (PR).

Até então, Alfredo era tratado como candidato do governo à sucessão do governador Eduardo Braga (MDB), mas Omar Aziz (PSD), com dois meses de governo, após a renúncia de Braga para disputar vaga de senador, já ganhava musculatura para se reeleger governador.

 

Memória

Os anais da Presidência da República mostram também que Marcelo Odebrecht há tempo frequentava as comitivas de Lula pelo país.

Ele, por exemplo, aparece em uma imagem de dezembro de 2009 (abaixo, à dir.), em Cruzeiro do Sul (AC), onde Lula também esteve com Alan García, desta vez para anunciar a ligação rodoviária entre o município acreano e Pacullpa, no Peru.

 

Foto: Agência de Notícias do Acre

 

Foto: Reprodução/Diario Correo (diariocorreo.pe)