O agora eleito deputado federal Marcelo Ramos (PR) confirmou que vai continuar apoiando a reeleição do governador Amazonino Mendes (PDT) e que desde hoje, 8, dia seguinte à votação em primeiro turno, já está nas ruas em campanha, que só acaba no dia 28 deste mês.

Marcelo afirmou em entrevista ao BNC Amazonas na tarde desta segunda-feira que conversou ontem com o presidente estadual do PR, deputado federal Alfredo Nascimento, que não conseguiu se eleger senador, e este disse que vai estar na linha de frente da campanha de Amazonino.

“Alfredo estava sereno e muito tranquilo. Incorporado na campanha de Amazonino. Todos nós vamos para a campanha”, disse.

Sobre o adversário do candidato do PDT neste segundo turno, Marcelo disse que respeita e tem carinho por Wilson Lima (PSC), mas julga que ele “ainda tem de caminhar um pouco, aprender um pouco, viver um pouco mais, para ser capaz de gerir o destino de quatro milhões de pessoas e administrar um orçamento de dezesseis bilhões de reais”.

“Governar o Amazonas não é uma brincadeira. É um desafio de governar dezesseis bilhões de reais e a vida de quatro milhões de pessoas. E isso não pode ser um salto no escuro”, reafirmou.

Para o novo deputado, o que diz sobre Wilson “não é nenhuma crítica pessoal, de inexperiência, de nada. Eu simplesmente acho que para cuidar de algo tão importante é preciso um mínimo de experiência”.

 

Leia mais

Amazonino venceu em 50 dos 62 municípios do Estado

 

Valores somados à experiência

Marcelo disse acreditar que ele, a candidata a vice-governadora Rebecca Garcia (PP), o também eleito deputado federal Pablo Oliva (PSL), além do vice-prefeito de Manaus licenciado e secretário do governo Marcos Rotta (sem partido) têm juventude, preparo intelectual e disposição para juntar à experiência de Amazonino.

“Penso que o Amazonino de hoje não é o mesmo do passado. É temperado e está preparando uma transição, que dá tranquilidade para a vida das pessoas”, afirmou Marcelo.

 

Brasília, um salto para o futuro

Questionado pelo entrevistador Neuton Corrêa sobre o que tirava da experiência de ter se aliado ao senador Eduardo Braga (MDB) para a disputa como vice do governo tampão em 2017, enfrentando Amazonino, Marcelo disse que a decisão era aquela para o momento.

“Agora a Câmara vai dar a vivência, a experiência, que não tinha à época. Isso vai me preparar mais para um desafio que eu sei que vai chegar a hora de governar nossa cidade, de governar nosso estado”, afirmou.

 

Bolsonaro ou Haddad?

Perguntado sobre quem apoiará no segundo turno da eleição a presidente da República, Marcelo disse que a direção nacional do PR liberou o voto e que vai esperar o anúncio oficial da posição do partido para se manifestar. Assegurou que não vai ficar “em cima do muro”.

“Penso que critério de esquerda e direita não cabe mais no mundo de hoje. Vivemos uma era de extremos, e os extremos fazem muito mal. Precisamos encontrar um ponto de equilíbrio. Os valores hoje são os humanitários”, afirmou.

 

Confira no vídeo a entrevista completa de Marcelo, que fala ainda das articulações que já está fazendo para o exercício do mandato, o que pensa da atuação da bancada do Amazonas e como vai abordar a questão da Zona Franca de Manaus (ZFM):

 

ELEIÇÕES 2018 | Entrevista com o deputado federal eleito Marcelo Ramos

Posted by BNC on Monday, October 8, 2018

 

 

Leia mais

David anuncia que não apoia nem Wilson nem Amazonino

 

Foto: BNC Amazonas