Várias cidades do país participam hoje, dia 13, de atos contra o contingenciamento de recursos da educação, defesa da autonomia das universidades públicas e contra a reforma da Previdência.

Os manifestantes foram convocados por entidades sindicais e movimentos estudantis.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), há atos agendados em ao menos 170 cidades dos 26 estados, além do Distrito Federal.

Para a União Nacional dos Estudantes (UNE), os contingenciamentos anunciados pelo governo afetam não só o ensino superior, mas também a educação básica, o ensino médio e programas de alfabetização.

De acordo com a UNE, os protestos também são contra a proposta do Ministério da Educação (MEC) de instaurar o programa Future-se, que, segundo a pasta, busca o fortalecimento da autonomia administrativa, financeira e da gestão das universidades e institutos federais.

Para as entidades sindicais, o projeto transfere atribuições dos governos para o mercado.

Leia mais:

Manifestações políticas são mantidas nas universidades, decide Supremo

 

Fonte: Agência Brasil

 

Foto: Agência Brasil/ Marcelo Camargo