Expurgado dos principais postos de poder da Mesa Diretora do Senado, o MDB do senador Eduardo Braga (AM) ganhou um prêmio de consolação na partilha dos cargos.

Ficará com a Segunda Secretaria da Casa, que tem como função lavrar as atas das sessões secretas, lê-las e assiná-las depois do primeiro-secretário.

 

Senador obscuro

Só para lembrar, na sexta-feira, dia 1º, o MDB lutou para que a votação para a presidência do Senado fosse secreta. O plenário, porém, num placar de 50 a 2, decidiu pelo voto aberto. Braga foi um dos dois que votaram contra a transparência da votação.

 

Estreia 

O deputado federal Marcelo Ramos (PR-AM) estreou bem na mídia nacional nesta quarta-feira. Apareceu em pauta positiva na Coluna do Estadão, um dos espaços mais disputado pela elite política do país.

 

Transparência

A nota do deputado Marcelo diz o seguinte:

“Atalho. Marcelo Ramos (PR-AM) protocolou ontem projeto de resolução para que todas as votações sejam abertas na Câmara. O trâmite de uma PEC, como a do senador Lasier Martins (PSD-RS), é mais lento e exige quórum alto”.

 

Suframa sem superintendente

O governo Bolsonaro demitiu ontem o primeiro ministro da atual gestão, Marcelo Álvaro (Turismo), mas ainda não nomeou o novo superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes, que já até despacha como titular da autarquia.

 

Appio encorajado

Quem está gostando da demora na nomeação do novo chefe da Suframa é Appio Tolentino, cujo mandato se encerrou no dia 31 de dezembro, mas fica no cargo em quanto não passar a batuta.

Appio está gostando tanto que no início de janeiro em trabalhava mofino, agora, faz reunião, marca agenda, num ritmo pouco visto quando estava no vigor do cargo.

 

Segurança total

Olhando para seus vizinhos de bancada, o Delegado Péricles (PSL), o Cabo Maciel (PR) e o médico Francisco Gomes (PRP), o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) comentou ontem na abertura do Legislativo a um grupo de pessoas: “Aqui me sinto seguro: tenho do meu lado dois policiais e um médico”.