Para Arthur, enterro coletivo é ação de guerra e diz que “se reza em casa”

O prefeito de Manaus disse que teve de fazer enterro coletivo porque a situação é de guerra, com mais de 100 sepultamentos por dia

 

Aguinaldo Rodrigues, da Redação

Para Arthur, enterro coletivo é ação de guerra e diz que “se reza em casa”

Assine para receber em primeira mão

Encontrou algum erro? Entre em contato
TAGS
VEJA MAIS