O MDB e o Solidariedade não suportaram a derrota parcial, nessa sexta-feira (1º), no plenário do Senado, e ingressaram com pedido do Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a votação em que foi decidido que a eleição para presidente da Casa será com voto aberto. As informações são do G1.

A sessão, que teve muita confusão e bate-boca, foi suspensa e remarcada para às 11h deste sábado (na foto, os senadores Renan Calheiros [MDB-AL] e Kátia Abreu [MDB-MT] pressionam o presidente da sessão, Davi Alcolumbre [DEM-AP], a seguir o regimento interno).

Os partidos pedem a garantia do voto secreto, a anulação da votação que decidiu pelo voto aberto, e que candidatos à Presidência do Senado não presidam reuniões preparatórias, como foi o caso do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

A decisão cabe ao ministro Dias Toffoli, presidente da Corte, que é responsável pelo plantão neste fim de semana.

 Leia mais no G1

 

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado