No dia seguinte à sua decisão de tirar o comando do partido Solidariedade das mãos do vice-governador do Amazonas, Bosco Saraiva, o presidente nacional da legenda, Paulinho da Força (SP), virou alvo da Polícia Federal. Seu gabinete na Câmara dos Deputados é dos três parlamentares são vasculhados na manhã de hoje, dia 30.

Além de Paulinho, Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB) são investigados em operação da polícia como suspeitos de integrar organização criminosa que fraudava concessão de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho, além de praticar crimes de corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro.

Prisão para os parlamentares chegou a ser pedida, mas foi rejeitada pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ainda segundo investigadores, um dos objetivos da operação Registro Espúrio é apurar “loteamento” do Ministério do Trabalho pelo PTB e Solidariedade.

A notícia é do G1. Leia mais.

 

Foto: Divulgação