O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), reviveu hoje, dia 15, sua verve parlamentar ao ser convidado para fazer da tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília, a oratória na abertura da homenagem ao aniversário de 52 anos do modelo de desenvolvimento Zona Franca de Manaus (ZFM).

Ele não só defendeu a manutenção do modelo como cobrou que o governo federal garanta a sobrevivência do polo industrial do Amazonas como contrapartida para a preservação da floresta amazônica. “A Zona Franca de Manaus é o sustentáculo da floresta amazônica amazonense e, além disso, gera emprego e benesses ao país inteiro e por isso merece ser apoiada”.

Arthur disse que, por isso, a ZFM deve se impor como um dos polos mais sofisticados da América Latina e dos mais vigorosos do Brasil, mas ao mesmo tempo precisa ter sua infraestrutura reforçada.

“Nossa telefonia celular não funciona, nossa internet é precária, precisamos da BR-319 [Amazonas-Rondônia] e também não temos um porto de verdade. Eu gostaria de ver investimento em formação de mão de obra, em inovação tecnológica e em acúmulo de capital intelectual”, afirmou da tribuna da Câmara.

O fortalecimento dos institutos de pesquisa da região e investimento em ciência e tecnologia também foram pontos levantados pelo prefeito.

 

Leia mais

Embaixador do Japão diz a Arthur esperar que governo apoie ZFM

 

ZFM é muito mais do que incentivos fiscais

No discurso, ele cobrou mais apoio à Superintendência da ZFM (Suframa) e ao polo industrial, “muito além dos incentivos fiscais que, subtraídos mais de R$ 10 bilhões de impostos que o Amazonas devolve ao governo federal, chegam a ser R$ 14 bilhões”.

“Chegamos ao momento de fazermos uma grande reflexão e retomar o crescimento. Se alguém quiser conspirar contra a zona franca não precisa cortar incentivo, e nem pode, já que está garantido na Constituição, mas basta deixar como está, pois desse jeito não irá resistir às intempéries que virão. Por isso, é preciso fazer essa reforma infraestrutural forte à qual me refiro e agregarmos novos produtos a nossa produção”, afirmou.

O prefeito de Manaus também apresentou os riscos à floresta amazônica e ao mundo caso não se garanta com urgência a sobrevivência do modelo ZFM.

“Esse modelo é importante pela questão ambiental e aqui deixo uma advertência muito clara: nós temos a riqueza da água, que será a principal commoditie da metade deste século. A zona franca garante a sobrevivência da floresta amazônica amazonense e com sua devastação correríamos riscos de atritos militares com potências que estão de olho na nossa região. Mas, deixo meus parabéns à zona franca, pois sua vida é a nossa vida”, disse Arthur, no encerramento do discurso.

 

Leia mais

Nos 52 anos da ZFM, Arthur fala em “prestígio internacional e paz militar”

 

Reconhecimento

Após 20 anos dedicados ao poder Legislativo, em Brasília, tendo sido deputado federal de 1995 a 1999 e de 1999 a 2003, além de senador da República, de 2003 a 2011, Arthur Virgílio Neto foi reconhecido por todos os participantes da cerimônia como um exemplo de luta por todas as causas em defesa da Amazônia.

 

Leia mais

Em defesa da ZFM, Arthur faz artigo endereçado a Paulo Guedes

 

Foto: Divulgação/Semcom