O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmou nesta terça, dia 11, que não há a menor possibilidade de aceitar o fim da Zona Franca de Manaus (ZFM), conforme tramado pelo governo federal com a revelação pelo jornal Folha de S.Paulo neste dia 10 da existência do plano Dubai.

“A Zona Franca de Manaus é um patrimônio do povo do Amazonas, uma espécie de bem que nos foi entregue em troca de preservação e manutenção do patrimônio ambiental que possuímos. Ao longo do tempo, a população tem feito sua parte e não pode ser punida. Vamos encarar todas as frentes de batalha para manter o que nos pertence”, afirmou.

Esse plano prevê a extinção da ZFM no modelo que é hoje, um parque tecnológico, e transformá-lo em polos segmentados de exploração dos recursos naturais da Amazônia.

 

Leia mais

Revelado plano Dubai do governo Bolsonaro para trocar ZFM por polos

 

Constituição é a garantia

Wilson alertou que a ZFM é, sobretudo, um modelo de desenvolvimento regional garantido pela Constituição e reconhecido como eficaz na diminuição das desigualdades regionais e na preservação da Amazônia.

O governador disse ser favorável à criação de novas matrizes econômicas, mas que agreguem valor à ZFM.

“Meu compromisso é com a implantação de novas formas de negócios, que nos permitam gerar emprego e renda, mas nada nos tirará a Zona Franca de Manaus, esta que é também um compromisso meu”.

 

Foto: Divulgação/Secom