Cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em maio de 2017 sob acusação de compra de votos para se eleger em 2014 e preso no fim do mesmo ano acusado de desviar dinheiro da saúde do estado, o ex-governador José Melo está tentando receber valores do governo que acha ainda ter direito.

Os valores são referentes a seu salário de governador, período que assumiu após Omar Aziz (PSD) deixar o cargo em 2014, informaram fontes do estado ao BNC AMAZONAS. O pedido foi feito este ano.

O processo se assemelha à solicitação que o ex-governador Amazonino Mendes (PDT) fez no ano passado e conseguiu se despedir do cargo com um salário de mais de R$ 500 mil.

 

Indeferimento

Técnicos ouvidos pelo site avaliam que a reclamação formalizada por José Melo poderá receber carimbo de indeferimento, apesar da semelhança com o caso de Amazonino.

 

Guedes começa a vergar

Voz implacável no Planalto contra a política de incentivos fiscais praticada pela indústria nacional, principalmente pelo Polo Industrial de Manaus, o ministro da Economia, Paulo Guedes, dá mostra de que o calor dos embates políticos que travou com o Congresso e os Estados em menos de três meses amoleceu seus argumentos.

Ontem, por exemplo, a senadores baianos, disse que não vai cortar os subsídios da Ford na Bahia. Acrescentou que seus auxiliares estão sendo mal interpretados.

 

Amazonas com a Bahia

Detalhe do encontro de Paulo Guedes com a bancada baiana é que o evento contou com a participação do senador Omar Aziz (PSB), convidado por sua posição de presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE).

 

Foto: BNC AMAZONAS