O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), o general amazonense Franklimberg Ribeiro de Freitas, confirmou que foi exonerado do cargo nesta terça, dia 11, conforme antecipou o Estadão nesta manhã.

Franklimberg disse à reportagem que recebeu uma ligação do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, informando que sua exoneração será publicada neste dia 12, no diário oficial da União.

O militar sucumbiu à pressão dos ruralistas, a partir de campanha contra seu nome dentro do próprio governo federal, puxada por secretário do Ministério da Agricultura. Não chegou a completar cinco meses no cargo.

Ao Estadão, disse que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), está mal orientado na questão indígena.

“A realidade é que, infelizmente, assessores do presidente da República que pensam quem conhecem a vida e a realidade dos povos indígenas têm assessorado-o muito mal”, disse.

O general afirmou que o futuro da Funai, que voltou para o Ministério da Justiça e Segurança Pública por decisão parlamentar do Congresso, é incerto.

Leia mais no jornal O Estado de São Paulo.

 

Leia mais

Em São Gabriel, Wilson anuncia obra e general, cidadania a indígenas

 

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil