Neuton Corrêa, da redação

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, mantém o estado de terror contra as empresas instaladas na Zona Franca de Manaus e nos outros estados do Norte e Nordeste.

Depois perder queda de braço no governo para começar a pôr em prática o seu projeto liberal de acabar com os incentivos fiscais nas duas regiões, agora ele coloca em campo nova estratégia.

Desta vez, pretende usar o Tribunal de Contas da União (TCU) para criar obstáculos às empresas que pedirem novos incentivos incentivos à produção.

A informação saiu ontem na versão eletrônica do jornal Folha de S.Paulo e hoje publicada na versão imprensa do matutino.

“O problema é que o governo não previu esse gasto no Orçamento deste ano e, agora, o Ministério da Economia pretende criar um calvário para as empresas, alongando o processo de aprovação de novos incentivos ao máximo”, diz a notícia.

Na prática, Paulo Guedes quer esvaziar a lei que ele tentou vetar ainda no governo Michel Temer (MDB), quando nem ministro era.

Essa lei foi aquela que prorrogou até 2023 os incentivos fiscais da União às empresas instaladas nas áreas de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

O BNC AMAZONAS já havia identificado a movimentação do ministro da Economia junto ao TCU, desde o início de janeiro.

A própria Folha de S.Paulo escreveu sobre isso no dia 13 de janeiro. Leia mais.

 

Foto: Alan Santos/Presidência da República