O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, assegurou à bancada parlamentar do Amazonas no Congresso Nacional que as demissões de servidores temporários na empresa Amazonas Energia vão ser estancadas.

De acordo com o coordenador da bancada, deputado federal Átila Lins (PSD), o ministro acolheu o pleito do Amazonas de que funcionários com até 25 anos de trabalho à empresa estavam sendo demitidos em massa.

“Conseguimos obter do ministro o compromisso de que não haverá mais demissões. Foi uma grande vitória. Vamos aguardar que após a privatização esse assunto seja tratado”, disse Átila.

O sindicato da categoria dos urbanitários conseguiu uma liminar na Justiça para suspender demissões, mas o prazo vence no fim deste mês.

Átila disse que a bancada também intercedeu para que o ministério crie uma cláusula de cunho social para os usuários que moram no interior do estado. A compreensão dos parlamentares é que, após a privatização do sistema Eletrobrás, o novo distribuidor de energia no Amazonas, assim como o atual, vai se preocupar o lucro, causando dificuldade para o usuário.

Neste momento, o projeto de privatização da estatal começa a tramitar na Câmara dos Deputados.

O coordenador da bancada federal amazonense também teve garantia do ministério que o programa Luz para Todos não sofrerá interrupção mesmo com a privatização.

A audiência foi no início da noite desta terça, dia 13, com a presença dos senadores Omar Aziz (PSD), Eduardo Braga (MDB) e Vanessa Grazziotin (PCdoB) e os deputados Alfredo Nascimento (PR), Conceição Sampaio (PP), Silas Câmara (PRB), Pauderney Avelino (DEM) e Gedeão Amorim (MDB). Só dois deputados não participaram: Hissa Abrahão (PDT) e Carlos Souza (PSDB).

 

Foto: Divulgação