O deputado federal Pauderney Avelino (DEM) afirmou que um dos grandes problemas que o ministro da Educação, Rossieli Soares, vai enfrentar na sua gestão no MEC é fazer com que os recursos liberados pelo governo federal sejam bem empregados, resultando em bom atendimento aos estudantes.

“É importante que os programas sejam feitos de forma responsável e que as ações de educação cheguem ao município, cheguem à ponta”, disse o deputado.

Pauderney participou de um encontro com Rossieli no MEC nesta terça, dia 8, acompanhado do presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Silvio Pinheiro, e da secretária de Educação de Manaus (Semed), Kátia Shweickardt.

O ministro recebeu Pauderney e a secretária da pasta da capital para discutir projetos para aprimorar ainda mais o ensino em Manaus, que tem a terceira maior rede de educação básica do Brasil, com 499 unidades escolares e 242 mil alunos, da creche ao nono ano. Fica atrás apenas do Rio de Janeiro e de São Paulo.

O prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), sempre ressalta que na última edição do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), a capital do Amazonas foi a que mais cresceu nas séries finais.

Rossieli também ressaltou esse avanço do ensino na capital e no Amazonas e disse que vai continuar a parceria federal com os governos estadual e municipais. Segundo ele, é importante para o MEC a resposta nos resultados da educação, “principalmente em uma região que precisa de muito suporte”.

Ele é profundo conhecedor do cenário da educação na região amazônica, tendo comandado a pasta no Governo do Estado por vários anos.

“A parceria com Manaus e com o estado do Amazonas é importante para continuarmos com esse crescimento. Manaus é a capital que mais tem crescido nos resultados do Ideb. Isso também aconteceu com o estado do Amazonas, que cresceu em todos os indicadores, como o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), e o ensino médio”, afirmou o ministro.

 

Expectativa da prefeitura

Schweickardt disse que o prefeito Arthur Neto está otimista com a posição de Manaus na próxima avaliação do ensino. “Estamos esperando ficar entre as dez principais capitais no resultado deste ano. Manaus tem sido um case interessante para se pensar a educação básica do Brasil”.

 

Foto: André Nery/MEC