O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), formalizou, nesta quarta-feira (19), pedidos de apoio do governo federal às famílias desabrigadas pelo incêndio no bairro de Educandos, na zona sul, ocorrido na noite de segunda-feira, dia 17. Entre os pedidos está o de concessão, com prioridade, de área para o planejamento de projetos habitacionais para atender as famílias atingidas.

Nesta terça-feira, dia 18, o presidente Michel Temer disse ter conversado com o prefeito sobre a disposição do governo federal ajudar as vítimas da tragédia.

Ainda nesta quarta, a Prefeitura de Manaus divulgou que somente hoje mais de 300 pessoas buscaram cadastro social na triagem que está sendo feita para a concessão de benefícios às vítimas do incêndio.

Assim, o número de desabrigados é de mais de 2.100, e o de famílias que perderam suas casas chega a 622.

O prefeito Arthur Neto, acompanhando a doação de donativos, coordenada pela presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko, disse que todos que efetivaram cadastro terão suas necessidades atendidas, mas a prioridade está sendo dada às vítimas do incêndio.

“Fechamos um número de cadastrados bem próximo da nossa estimativa, mas somente nesta manhã (quarta-feira) outras 300 pessoas buscaram cadastro junto ao nosso serviço social. As equipes agora trabalham na triagem dos cadastrados para que possamos dar seguimento ao atendimento prioritário das famílias atingidas pelo incêndio”.

A Secretaria da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc) ainda está contabilizando novas inscrições.

“Já iniciamos a triagem para identificar as famílias vítimas do incêndio das demais pessoas que têm outras necessidades. A partir dessa identificação poderemos definir os beneficiários do auxílio-aluguel”, disse o titular da Semasc, Dante Souza.

 

Arthur Neto e Elisabeth Valeiko caminham na área do que restou após o incêndio
Foto: BNC

 

Ajuda federal

Nesta quarta, o prefeito formalizou o pedido de auxílio federal ao presidente da República, Michel Temer (MDB).

A solicitação é de auxílio financeiro e operacional para pagamento de auxílio-aluguel às famílias atingidas pelo período inicial de 180 dias, no valor mensal de R$ 300 por família, totalizando R$ 1.080 milhão.

Para aquisição de alimentação e de utensílios mínimos para a sobrevivência, Arthur sugeriu R$ 5 mil por família, totalizando R$ 3 milhões.

O prefeito também pede a concessão, com prioridade, de área para o planejamento de projetos habitacionais que permitam a construção de moradias para as famílias atingidas.

Fonte: Semcom

 

Foto: Israel Conte